Querid@s Convidad@s

Querid@s convidad@s,

Agradecemos demais a presença e o carinho de tod@s no nosso casamento. Passem por aqui sempre que quiserem para rememorar e conhecer mais detalhes sobre o evento. =)

Texto da Nossa Cerimônia


Este é o texto da nossa cerimônia de casamento. Sinta-se à vontade para ler, guardar, usar como inspiração, ou na versão original mesmo, para a sua própria cerimônia! Não cobrarei direitos autorais, até porque as autoras dos textos que usei como base para escrever este também não cobraram. =)

Você encontra mais detalhes sobre a nossa cerimônia aqui!

Casamento de Elisa e Rômulo - 12/08/2011 


[Início]
Boa noite a todos... A partir de agora, por gentileza, coloquem os celulares no modo silencioso e fiquem à vontade para sentar-se.

Estamos aqui hoje para celebrar as melhores coisas da vida. Estamos aqui para celebrar o amor, a confiança, a esperança.

[Às famílias e amigos]

Vocês foram convidados para compartilhar este momento com a Elisa e com o Rômulo porque são as pessoas mais importantes para eles. O respeito, a compreensão e o carinho que sustentam o relacionamento deles têm suas raízes no amor que todos vocês deram a este jovem casal. Por isso, é uma honra para os noivos contar com a sua presença, aqui, hoje. Embora muitos não morem exatamente ali na esquina, vocês nunca estão distantes dos corações da Elisa e do Rômulo. Vocês são parte insubstituível do seu ontem, do seu hoje e de todos os seus amanhãs. Um casamento precisa de uma comunidade, não apenas para amparar o casal nos momentos de adversidade, mas também para celebrar junto os momentos de alegria.

Que todos nós possamos sempre fazer tudo o que esteja ao nosso alcance para apoiar e nutrir a união entre estas duas pessoas que tanto amamos.

[Homenagem aos entes falecidos]

Esta noite, recordamos também aqueles que não se encontram fisicamente nesta cerimônia, mas que se fazem presentes em nossos corações. Lembramo-nos com especial saudade do Sr. Roberto Godinho, pai do Rômulo, a quem os noivos sempre dedicarão parte de sua felicidade.

[Declaração pelos direitos homossexuais]

Ao festejarmos hoje este rito de matrimônio, devemos ainda nos lembrar daqueles que não podem, por lei, dar este passo tão importante. A Elisa e o Rômulo acreditam que todos merecem o direito incontestável de se casar, pois todos merecem usufruir das benesses legais e emocionais que advêm deste ato. Um dia, num mundo mais justo, todos aceitarão que o amor não tem gênero, e que, antes de sermos homens ou mulheres, somos todos seres que amam. Esperamos que este dia chegue em breve.

[Sobre o casamento]

Muito se fala sobre o casamento no dia-a-dia. Muito se fala, inclusive, contra o casamento. Alguns acreditam que o casamento seja, efetivamente, o fim da vida.

Hoje, Elisa e Rômulo querem atestar que o casamento não é um fim, muito menos um começo. Esta não é uma cerimônia mágica, e não vai criar algo que já não exista. Eles já escolheram um ao outro como sua família, e hoje estão celebrando algo que já começou e que vai continuar crescendo ao longo dos anos. Pois o casamento é um processo. É uma caminhada ousada rumo a um futuro desconhecido, que envolve abrir mão do que somos, separados, em prol de tudo o que podemos vir a ser, juntos.

Neste momento, Elisa e Rômulo gostariam de compartilhar com vocês algumas leituras.

[Leitura 1]

O meu fascínio por ritos me faz suspeitar que, numa outra vida, é possível que eu tenha sido um sacerdote ou um feiticeiro. Hoje, pouca gente sabe o que são. Um rito acontece quando um poema, achando que as palavras não bastam, se encarna em gestos, em comida e bebida, em cores e perfumes, em música e dança. O rito é um poema transformado em festa!

Escrevo hoje para os que casam, por medo de que, fascinados por um rito, se esqueçam do outro… Porque, caso não saibam, é desse outro rito, esquecido, que o casamento depende.

O primeiro rito, sobre que todos sabem, e para o qual se fazem convites, é feito com pedras, ferro e cimento.

O outro ritual se faz com o vôo das aves, com água, espuma e bolhas de sabão. Secreto, para ele não há convites, nem lugar certo, nem hora marcada: simplesmente acontece. Não precisa de altares. Pode ser a sombra de uma árvore, um carro, uma cozinha, um banco de jardim, um vagão de trem, um aeroporto, uma mesa de bar, uma caminhada ao luar...

Não há promessas para amarrar o futuro. Há confissões de amor para celebrar o presente.

Rubem Alves

[Obs: Leitura composta por trechos da crônica "Por um casamento". Leia o texto completo aqui.]


[Leitura 2]

Depois de muito meditar sobre o assunto, concluí que os casamentos são de dois tipos: há os casamentos do tipo tênis e há os casamentos do tipo frescobol. Os casamentos do tipo tênis são uma fonte de raiva e ressentimentos e terminam sempre mal. Os casamentos do tipo frescobol são uma fonte de alegria e têm a chance de ter vida longa.

O tênis é um jogo feroz. O seu objetivo é derrotar o adversário. E a sua derrota se revela no seu erro: o outro foi incapaz de devolver a bola. Joga-se tênis para fazer o outro errar. O bom jogador é aquele que tem a exata noção do ponto fraco do seu adversário, e é justamente para aí que ele vai dirigir a sua cortada - palavra muito sugestiva, que indica o seu objetivo sádico, que é o de cortar, interromper, derrotar. O prazer do tênis se encontra, portanto, justamente no momento em que o jogo não pode mais continuar porque o adversário foi colocado fora de jogo.

Termina sempre com a alegria de um e a tristeza de outro.

O frescobol se parece muito com o tênis: dois jogadores, duas raquetes e uma bola. Só que, para o jogo ser bom, é preciso que nenhum dos dois perca. Se a bola veio meio torta, a gente sabe que não foi de propósito e faz o maior esforço do mundo para devolvê-la gostosa, no lugar certo, para que o outro possa pegá-la. Não existe adversário porque não há ninguém a ser derrotado. Aqui ou os dois ganham ou ninguém ganha. E ninguém fica feliz quando o outro erra - pois o que se deseja é que ninguém erre. O erro de um, no frescobol, é como ejaculação precoce: um acidente lamentável que não deveria ter acontecido, pois o gostoso mesmo é aquele ir e vir, ir e vir, ir e vir... E o que errou pede desculpas; e o que provocou o erro se sente culpado. Mas não tem importância: começa-se de novo este delicioso jogo em que ninguém marca pontos...

A bola: são as nossas fantasias, irrealidades, sonhos sob a forma de palavras. Conversar é ficar batendo sonho pra lá, sonho pra cá...

Mas há casais que jogam com os sonhos como se jogassem tênis. Ficam à espera do momento certo para a cortada.

Tênis é assim: recebe-se o sonho do outro para destruí-lo, arrebentá-lo, como bolha de sabão... O que se busca é ter razão e o que se ganha é o distanciamento. Aqui, quem ganha sempre perde.

Já no frescobol é diferente: o sonho do outro é um brinquedo que deve ser preservado, pois se sabe que, se é sonho, é coisa delicada, do coração. O bom ouvinte é aquele que, ao falar, abre espaços para que as bolhas de sabão do outro voem livres. Bola vai, bola vem - cresce o amor... Ninguém ganha para que os dois ganhem. E se deseja então que o outro viva sempre, eternamente, para que o jogo nunca tenha fim...

Rubem Alves

[Obs: Leitura composta por trechos da crônica "Tênis x frescobol". Leia o texto completo aqui.]

[Introdução aos votos]

Elisa e Rômulo, vocês já foram muitas coisas um do outro - colegas de escola, amigos, companheiros, namorados, noivos, e até mesmo professores e alunos, pois vocês já ensinaram muito um ao outro e já aprenderam muito um com o outro, nestes últimos anos. Agora, com as palavras que vocês estão prestes a trocar, vocês passarão para a próxima fase.

Pois, com estes votos, vocês estarão dizendo ao mundo: “este é meu esposo”, “esta é minha esposa”.

Elisa, é de livre e espontânea vontade que você aceita o Rômulo como seu companheiro em matrimônio?

Elisa: Sim.

Rômulo, é de livre e espontânea vontade que você aceita a Elisa como sua companheira em matrimônio?

[Banda toca o Dramatic Chipmunk]

Rômulo: Sim.

Assim sendo, por favor, dêem-se as mãos e preparem-se para dar e receber suas juras de amor, que estão entre os maiores presentes da vida.

[Leitura dos votos]

Rômulo: Mô,
Você me ensinou a usar All Star.
Você me fez parar de usar roupas furadas.
Você assiste filmes de terror comigo toda sexta-feira 13.
Você me ajuda a escolher as matérias quando eu faço matrícula na UnB todo semestre.
Você vai comprar roupas comigo e desvia a atenção dos vendedores de mim para você.
Você faz a minha manicure.
Você me encoraja a não ter medo do ridículo.
Você me ajudou a escrever estes votos.
Eu te amo e prometo fazer o possível para ser tão bom para vc quanto vc é para mim, todos os dias de nossas vidas.

Elisa: Rômulo,
Você me acompanha em todas as minhas viagens, desde as mais tristes até as mais inusitadas, e sempre de bom humor. Você até cantou junto no show das Spice Girls, ao qual eu te levei praticamente à força.
Você me carrega nas costas quando eu preciso, ao mesmo tempo em que procura um meio pra me ajudar a caminhar por conta própria.
Você é muito bom em usar gestos pequenos para demonstrar sentimentos grandes, e você me faz saber que me ama todos os dias.
Você é a pessoa em quem eu mais confio em todo o universo. Com você, eu me sinto sempre segura, mesmo quando um maluco ameaça me esfaquear na rua.
Você me dá todo o carinho de que eu gosto e preciso. Você me faz sentir querida, aceita e respeitada. Mas, mais importante, você me faz sentir uma pessoa merecedora de amor, aceitação e respeito.
Eu te amo, e prometo fazer o possível para ser tão boa pra você quanto você é pra mim, todos os dias de nossas vidas.

[Troca das alianças]

E agora... [suspense] as alianças.

As alianças são símbolos físicos do compromisso de um casal e de sua ligação emocional e espiritual. Elas são consideradas um círculo perfeito, sem começo nem fim. Mas nós sabemos que estas alianças tiveram um começo. O material foi retirado da terra. Os metais foram liquefeitos, forjados, refrigerados e polidos. Algo belo foi produzido a partir de elementos brutos.

O amor é assim. Tem origens humildes, pois vem de seres imperfeitos. O amor é o processo de construir algo belo com coisas simples.

Elisa e Rômulo, que estes anéis sejam um lembrete visível de seus sentimentos um pelo outro neste momento. Ao olhar para eles, lembrem-se que vocês têm alguém especial com quem compartilhar suas vidas. Lembrem-se de que vocês se encontraram um ao outro e um no outro, e de que nunca mais andarão sozinhos.

[Troca das alianças]

Rômulo: Elisa, eu te dou esta aliança como sinal de que escolhi você para ser minha companheira e minha melhor amiga. Receba-a e saiba que eu te amo. [coloca a aliança]

Elisa: Rômulo, eu te dou esta aliança como sinal de que eu escolhi você para ser meu companheiro e meu melhor amigo. Receba-a e saiba que eu te amo. [coloca a aliança]

[Pronunciamento final]

Elisa e Rômulo, ninguém além de vocês mesmos detém o poder de proclamá-los esposo e esposa. Porém, vocês nos escolheram como anunciantes desta boa nova. E assim, tendo testemunhado sua troca de votos diante de todos que estão aqui hoje (e também com base nesta certidão de casamento que vocês assinaram antes no cartório [mostra a certidão]), é com grande alegria que nós declaramos que vocês estão casados.

Pode beijar a noiva.

[Beijo e saída]

25 comentários:

  1. Lindo! Adorei rememorar esse momento tão lindo e que me debulhei em lágrimas!

    Beijo, Cacá

    ResponderExcluir
  2. Caso-me em abril/2013 e amei o texto, até chorei lendo os votos, rsrsrs...

    Parabéns ao casal e muitas felicidades!!!

    ResponderExcluir
  3. Parabéns pelos textos!
    Inspiradores!

    ResponderExcluir
  4. Nãããããããããããããããão acredito! Achei o que procurava há taaaaaaaaaaaaaaaaanto tempo! Você não tem noção de como estou feliz por ter encontrado seu blog. Obrigada por td(inclusive pela isenção dos direitos, rsrsrsrs). Felicidades!

    ResponderExcluir
  5. Parabéns pela generosidade em compartilhar!! Muito obrigada!!

    ResponderExcluir
  6. Lindo Vou usar umas partes. Não quero cerimônia religiosa, mas quero algo bonito, tocante. Ameeiii!!!

    ResponderExcluir
  7. Amei meu casamento será no dia 9 de novembro adorei que Deus abençoi

    ResponderExcluir
  8. muito obrigada por compartilhar sei q vai ajudar muita gente assim como me ajudou!!! amei td! parabens

    ResponderExcluir
  9. amei sua cerimonia.vou usar algumas parde. vou me casar dia 05 de dezenbro . sera um casamento diferente pois samos homossexuais. fiquei feliz pela parde que você fala sobre esse assunto, pois ficamos felizes em saber que algumas pessoas pensam assim. te desejo toda felicidade do mundo. ass. josimar e pablo,

    ResponderExcluir
  10. Ameiiii... vou usar algumas partes no meu casamento. eu não vou casar no religioso.. mais estava procurando algum diferente. muito obrigada!!

    ResponderExcluir
  11. Colei e copiei. Meu irmão irá se casar e pelo visto eu farei o ceremonial.
    belo texto.

    ResponderExcluir
  12. Muito obrigada por sua postagem!
    Me ajudou muito. :D

    ResponderExcluir
  13. A parte pelos direitos homossexuais é perfeito para usar na minha cerimônia que terá um casal de madrinhas! com ctz elas ficarão felizes com as palavras. obrigada por compartilhar o texto

    ResponderExcluir
  14. Muitíssimo Obrigada! realmente lindo e emocionante.

    Estava procurando algo parecido para meu casamento já tinha a ideia de que seria um amigo a realizar a cerimonia, porem não sabíamos como proceder para não ficar frio ou simplesmente engraçado.
    Vou aproveitar muito do seu texto e adapta-ló para minha cerimonia.
    Obrigada e mil Felicidades ao casal tão generosos.
    Monica Silva

    ResponderExcluir
  15. Muitíssimo Obrigada! realmente lindo e emocionante.

    Estava procurando algo parecido para meu casamento já tinha a ideia de que seria um amigo a realizar a cerimonia, porem não sabíamos como proceder para não ficar frio ou simplesmente engraçado.
    Vou aproveitar muito do seu texto e adapta-ló para minha cerimonia.
    Obrigada e mil Felicidades ao casal tão generosos.
    Monica Silva

    ResponderExcluir
  16. Sério... é muitoo difícil achar um blog com a cerimônia completa DE VERDADE..
    Ficou LINDO!! e era exatamente o que eu procurava, pois tinha uma certa ideia do que fazer no meu, mas não conseguia enxergar como ficaria.. e seu blog ajudou muito...
    Parabéms.. Obrigada...e Felicidades Sempre!!!

    ResponderExcluir
  17. Quem precisar de um celebrante, me contate. Porto Alegre RS e região. (51) 9-9844-1977
    Ministro Anglicano. Realizo casamento em sítios, prais, fazendas, hoteis, buffets...

    ResponderExcluir
  18. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir

  19. Neuza Bernardo3 de junho de 2017 00:31
    Gratidão...Gratidão...muita gratidão!
    Sou responsável pela celebração de uma cerimonia de casamento, e estava desesperada, pela tremenda responsabilidade e pela falta de criatividade...Seu blog foi uma benção! Recebi como uma ramalhete de LUZ, a cerimonia veio completa! OBRIGADA!...Eu e meu marido faremos a cerimonia, ele em ingles e alemão e eu em portugues...Poucas ou quase nenhuma mudança no texto inteiro!!!
    Saibam que serão "COPIADOS (ctrl c\ ctrlv) para uma cerimonia na Alemanha...

    ResponderExcluir
  20. belo! copiei partes ! Parabéns!

    ResponderExcluir
  21. achei super bonito, legal e diferente se tiver mais posts desse tipo me mostrem ok

    ResponderExcluir
  22. Ameeeiiii! Muito obrigada, era isso que eu estava procurando há tempos!!!!! Vou casar dia 23/12/2017! <3

    ResponderExcluir